Tu não és um computador

 “Tu não és um computador” é uma coletânea de pequenos textos, agora chamados posts, sobre diversos temas que apontam na direção do teu "não computador" interno. Um ensaio sobre aquilo que tu poderás ser, para além daquilo que repetes, dia após dia, como um disco riscado. Algumas pistas para refletires no sentido da aproximação ao ser divino que habita em ti.

Não segue uma linha muito lógica e racional pois o objetivo é mesmo ajudar-te a sair da programação robótica onde estás imerso.

Este livro é também um paradoxo, pois, além de tentar mostrar que não és um computador, descreve o melhor que se sabe, como funciona a complexa e incompreensível engenharia que, à luz do conhecimento atual, está na base do que és feito e do que te rodeia. E que parece ser um computador inteligente muito avançado, com mecanismos ainda desconhecidos da ciência.

É sobretudo uma busca interior pelo ser superior divino que nos anima, ao redor, acima, ou algures ligado a este corpo e a tudo o resto.

_________________

Disponível em papel na Editora Bubok: 

https://www.bubok.pt/livros/13076/Tu-nao-es-um-computador

E-book disponível na Amazon:

https://www.amazon.es/dp/B098TMG42J 

English edition: You're not a computer disponível na Amazon:

https://www.amazon.es/dp/B09BMKXWZ8

Prefácio de Ângelo Rodrigues - Profº de Filosofia e Coordenador Literário

Comentários:

“Adorei! Escrito com clareza, leveza e humor conseguiste tornar o tema acessível e levar-nos a pensar por nós próprios, e a aceder ao sentir/saber interno”

Ilja van de Griend

Psicoterapeuta e fundadora da AlmaSoma Instituto de Transpessoal.

 

"É um livro giro, pá"

José Tribolet

Professor Catedrático Jubilado do Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa. Investigador Emérito do INESC

 

"Gostei muito. É eclético, toca em muitos assuntos e dá uma pincelada muito gira em todos eles. Um bom momento de leitura"

Luís Martins Simões

Escritor, formador e especialista em inteligência intrapessoal e interpessoal.

 

“Neste livro, Carlos Lopes lembra-nos que, não poucas vezes, nos comportamos como se fôssemos computadores e oferece-nos a sua perspetiva de como o evitar, conseguindo uma superior qualidade de realização. Discutível, mas interessante.”

Luís Portela

Médico e empresário


Comentários

Mensagens populares deste blogue

As células também não são computadores